fbpx

Torneio de Robótica FIRST® LEGO® League reúne 600 participantes em Curitiba

por | 18 / fev / 20 | FLL

Melhores colocados garantiram vagas para a etapa nacional que acontecerá em março, em São Paulo 

Quais os desafios para criar cidades mais inteligentes e como construir, a partir disso, um mundo melhor? Foram esses questionamentos que os cerca de 600 participantes, de 09 a 16 anos de idade, tiveram que responder no Torneio de Robótica da FIRST® LEGO® League. A etapa paranaense aconteceu no último final de semana, no Campus da Indústria, localizado dentro da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, em Curitiba.

Mais do que responder a perguntas complexas, os jovens precisaram desenvolver projetos e criar robôs para cumprir o pacote de desafios batizado de “City Shaper”.

O evento faz parte de uma iniciativa que tem o apoio da LEGO® Education para estimular crianças e pré-adolescentes a aprenderem robótica sobre um outro prisma: o da cooperação, trabalho em equipe e respeito.

 

O FIRST® LEGO® LEAGUE

Todos os anos os participantes são desafiados a usar a criatividade para resolver os problemas propostos pela organização internacional. Em 2020, os desafios giram na resolução de como criar cidades mais inteligentes.

“O tema do evento é sempre lançado em agosto. A partir disso, os estudantes têm cerca de quatro meses para planejar e executar as ações”, conta Mary Oliveira, coordenadora do evento.

Mary Oliveira FIRST LEGO League

“A mudança de vida deles é o que mais me toca. Isso me faz ter esperança no futuro desses jovens. Aqui é mais que competição, são valores que eles vão levar pra vida: respeito, cooperação, energia”, conta Mary.

Depois é a hora de mostrar o trabalho realizado. A dinâmica do evento permite que cada escola recebe um stand para realizar a divulgação dos projetos fazendo os participantes interagirem entre si.

Em outro momento é a hora de treinar os robôs construídos com elementos LEGO®. As arenas recebem o tapete de missões – que é montada de forma igual para que os robôs cumpram as tarefas determinada – as atividades sempre são relacionadas ao tema do ano.

Cada equipe também tem alguns rounds testes para treinar seu robô. Aquecidos, os robôs vão para o round oficial que pontua o desempenho das criações dos alunos.

Uma outra etapa também é somada a pontuação dos participantes. Eles precisam defender seu projeto, robô e time em três salas diferentes: 

  • Projeto de inovação: que avalia as soluções criadas pelos times para resolver problemas tornando as cidades inteligentes.
  • Core Values: que pontua a parte comportamental e leva em consideração a descoberta, a inovação, o impacto, a inclusão, o trabalho em equipe e a diversão dos participantes.
  • Design do robô: que se atém não apenas ao desempenho do robô na arena, mas também a estratégia, estrutura mecânica e programação do robô.

As avaliações são somadas e os dados cruzados, só após todas as etapas os “champions”, são conhecidos. Os nove melhores colocados na etapa paranaense garantem vaga para o Torneio Nacional que acontece em São Paulo, em março.

 

FIRST® LEGO® LEAGUE – MAIS QUE COMPETIÇÃO

Apesar do esforço de todas as equipes para se classificar para a etapa nacional, algo além disso fica muito presente no evento: o espírito de cooperação e amizade.

Para estudante Julia Opuchkewich, 13 anos, da Escola Municipal São Miguel de Curitiba, o mais importante é o que ela vai levar quando a competição acabar. “Eu levo daqui o trabalho em equipe que a gente teve. Quando eu comecei na robótica eu era muito mandona, muito mesmo (risos). Eu queria fazer tudo sozinha. Participando do projeto para o Torneio eu entendi que precisamos da equipe, que eu não vou conseguir fazer nada sozinha. A gente vira uma família, somos mais que irmãos”, conta ela. 

First LEGO League participante

Aos 13 anos, Julia desenvolveu com a equipe um projeto para cidades inteligentes para o Torneio de Robótica da FLL.

O campeonato também abriu novos horizontes para Julia. “É muito legal porque conhecemos outras pessoas, outros projetos, vemos como elas pensam e como elas acham que dá pra melhorar o mundo e isso é muito bom”, completa.

A equipe de Julia desenvolveu um jogo para celular que apresenta desafios semanais aos jogadores, sempre ligados a soluções para um mundo melhor como plantar uma árvore, recolher o lixo de um parque. Cada desafio vale pontos e os jogadores mais bem pontuados ganham créditos para o telefone.

Todas as equipes contam com técnicos. Patricia Maiorki é educadora na rede municipal e atua com projetos de contraturno nas escolas, dentre eles a robótica. “Os desafios apresentados aos alunos exigem que eles sejam mais ágeis e independentes. Eles assumem mais responsabilidade e, por todo o envolvimento, acabam desenvolvendo mais que o raciocínio lógico e a matemática. Aprendem a se relacionar melhor e também desenvolvem outras áreas como, por exemplo, física e ciências, já que precisam se informar mais para criar o projeto”, explica.

 

HISTÓRIAS QUE MARCAM A FIRST®

É comum encontrar no evento pessoas que participaram ainda adolescentes do FIRST® LEGO® League. É o caso de Lucas Eduardo Bandeira Rodrigues, 23 anos, que nesta edição atual como juiz chefe de arena.

Participante FIRST LEGO League Paraná

Há 10 anos no mundo da robótica, Lucas quer inspirar outros jovens a aprender os valores compartilhados pelo evento.

“Conheci a robótica ainda na escola municipal quando participei da minha primeira competição em 2010. Depois me tornei mentor da equipe, em seguida técnico e hoje atuo como juiz de arena e, neste ano, fui convidado a ser juiz chefe de arena”, relembra Lucas.

Para ele, a FIRST® LEGO® League muda a vida dos participantes para além da robótica e da tecnologia. “A mudança é mais profunda, é comportamental. O trabalho em equipe,  a convivência, ajuda a transformar o pensamento coletivo, a ter empatia, a saber se posicionar”, explica.

Lucas dá aulas de robótica nas escolas e faz questão de participar dos eventos para inspirar outros jovens. “Quero ver muitos outros tendo a oportunidade de participar disso que um dia eu participei. Essa é a minha motivação”.

 

ETAPA NACIONAL

A Etapa Nacional do Torneio de Robótica FIRST® LEGO® League que acontecerá em março, em São Paulo, deve reunir cerca de 800 participantes de todos os estados do país divididos em 100 equipes. Além da categoria de 9 a 16 anos, neste evento terá também as competições com robôs feitos em metal: FIRST® Tech Challenge (12 a 18 anos) e FIRST® Robotics Competition (14 a 18 anos).

Confira as equipes paranaenses que garantiram vaga para a etapa nacional:

  1. Doctors Machines
  2. Conectados Old Scholl
  3. Discovery Talents
  4. Conectados
  5. The Orion
  6. Strong Brain
  7. Black ops Rollmops
  8. Immortalis
  9. The Gears

A Positivo Tecnologia Educacional é a operadora nacional da FIRST® LEGO® League Jr.
Não deixe de acompanhe nas redes da Tecnologia Educacional tudo sobre os eventos Lego®.

 

Tenha o Schood como diferencial da rotina escolar

por | 18 / fev / 20 | FLL

Schood é destaque entre soluções inovadoras

Positivo Tecnologia recebe prêmio nacional de inovação e presidente da companhia ressalta a pulseira inteligente como uma das realizações da empresa A Positivo Tecnologia figura entre as 150 empresas selecionadas na sexta edição do Prêmio Valor Inovação Brasil 2020, a...

Nasce uma nova geração, a geração P

* Por Alvaro Cruz Pare um minuto e pense como foi a sua infância. Você provavelmente brincava muito, na rua, nos parques, ia para a escola, convivia com os amigos, passeava com os pais, pegava em tudo, mexia em tudo, se sujava...coisas de criança. Mas, se tivesse que...