fbpx

Saiba as vantagens e os cuidados necessários para levar toda a inovação desse dispositivo móvel para o seu plano de aula Os tablets estão ganhando cada vez mais destaque no cenário escolar. Apresentando diversas funcionalidades disponíveis na palma da mão, eles são aparelhos leves e compactos, que despertam a curiosidade dos alunos e a vontade do educador para inovar em sala de aula. Mas, afinal, como fazer do tablet um aliado para a aprendizagem dos alunos? Para a supervisora de Informática do Colégio Positivo, em Curitiba (PR), Juliana Milléo Sochascki, além de serem fáceis de carregar, ocupando menos espaço na carteira e na mochila, esses dispositivos móveis representam uma abertura para novos horizontes. “Trazendo os tablets para a sala de aula, sabemos que o nosso aluno estará ainda mais conectado com o mundo”, afirma.

Tablet na escola

Diversão x Aprendizado Conhecido como uma ferramenta para diversão de crianças e adolescentes mundo afora, que aproveitam o aparelho para baixar jogos, músicas e vídeos, entre outros aplicativos, o tablet também pode ter uma utilização específica em sala de aula, com foco no processo de ensino e aprendizagem. “Quando você usa o tablet para transmitir conhecimento, em forma de conteúdo e interatividade, consegue fazer com que ele não se restrinja a ser apenas um meio de entretenimento e diversão dos alunos”, avalia a supervisora. “A dinâmica da aula muda, o aluno passa do plano da imaginação para a construção do conhecimento, de mero ouvinte a colaborador”, complementa. Vantagens Entre as vantagens do uso do tablet em sala de aula, Juliana destaca a praticidade, a agilidade do acesso ao material de explicação do professor e a possibilidade de personalizar o ensino, com o uso de aplicativos que acompanham o desenvolvimento do aluno, identificando suas dificuldades. “A receptividade dos alunos é excelente. Estamos nos referindo a dispositivos que fazem parte do dia a dia desses jovens”, explica Juliana. Como funciona No Colégio Positivo, em Curitiba (PR), por exemplo, os tablets são utilizados de duas formas: no laboratório móvel da própria escola e como item obrigatório no Ensino Médio da sede Jardim Ambiental. “As atividades que contemplam o uso desses dispositivos móveis são das mais variadas, como avaliações online, uso de aplicativos, entre outros, pois só dependem do planejamento prévio do professor”, avalia. Dicas para começar Antes de começar a usar o tablet na escola, na prática didática, os gestores e educadores devem se atentar para alguns detalhes importantes. “Todo o processo de implantação das novas tecnologias em sala de aula requer muita cautela, respeitando o ritmo de cada educador e aluno. Antes de se preocupar com sua aplicação, é importante dar especial atenção à infraestrutura da escola, capacitação dos professores e planejamento do uso do recurso. Somando esses pontos ao apoio dos gestores e diretores, o sucesso é garantido”, aconselha a supervisora. UNESCO recomenda inclusão de tablet e celular em sala de aula Em 2014, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) criou um Guia de Políticas para a Aprendizagem Móvel, onde recomenda a inserção dos dispositivos móveis, como tablets e smartphones, no dia a dia escolar. Para tanto que, nele, aponta 13 benefícios da aprendizagem móvel. Confira! Benefícios particulares da aprendizagem móvel, segundo a UNESCO: • Expandir o alcance e a equidade da educação • Facilitar a aprendizagem individualizada • Fornecer retorno e avaliação imediatos • Permitir a aprendizagem a qualquer hora, em qualquer lugar • Assegurar o uso produtivo do tempo em sala de aula • Criar novas comunidades de estudantes • Apoiar a aprendizagem fora da sala de aula • Potencializar a aprendizagem sem solução de continuidade • Criar uma ponte entre a aprendizagem formal e a não formal • Minimizar a interrupção educacional em áreas de conflito e desastre • Auxiliar estudantes com deficiências • Melhorar a comunicação e a administração • Melhorar a relação custo-eficiência Fonte: UNESCO policy guidelines for mobile learning. 2014. Pensando em oferecer soluções de Aprendizagem Móvel na sua escola? Conheça o Laboratório Móvel e todas as tecnologias educacionais que oferecemos para diferentes instituições de ensino. Para mais informações, entre em contato pelo 08006447193 ou por aqui  

Saiba as vantagens e os cuidados necessários para usar o tablet na escola, levando a inovação para o seu plano de aula.

Em entrevista, especialista dá passo a passo para que educadores incluam a tecnologia na prática pedagógica Usufruir das amplas oportunidades oferecidas pela tecnologia dentro da sala de aula é um desejo comum aos educadores. Então, como é possível concretizar essa vontade, já que, muitas vezes, fatores como a falta de conexão com a Internet, ausência de recursos e de infraestrutura, tornam-se barreiras para que as escolas abram as suas portas para esse novo universo de possibilidades tecnológicas que envolvem o processo educacional? Com o objetivo de responder a essa pergunta e ajudar os educadores a ficarem por dentro da dinâmica que envolve a implantação da tecnologia na escola, batemos um papo com o gerente de Operações Técnicas da Positivo Informática Tecnologia Educacional, Helinton Luiz Vieira Marques. Confira! TecEduc – Qual é a importância do uso dos dispositivos móveis para sala de aula no contexto atual de ensino? Helinton – O uso dos dispositivos móveis pode ser um grande aliado no processo de ensino e aprendizagem na medida em que as tecnologias móveis podem ampliar e enriquecer oportunidades educacionais, principalmente no que diz respeito a transformar dinâmicas tradicionais de sala de aula. TecEduc – Entre eles, quais estão em destaque ou são fundamentais para serem usados nas salas de aula do futuro, daqui para frente? Helinton – Não podemos dizer que os dispositivos móveis são fundamentais, mas, sim, que eles já podem ser considerados importantes para o uso de plataformas de ensino digital, pois trazem uma orientação mais rápida e eficiente para o aluno e também para o professor sobre o que está sendo ensinado e assimilado pelo estudante. Nesse contexto, os tablets ainda se destacam pela mobilidade e usabilidade, já que possuem uma tela maior. Não podemos, entretanto, desconsiderar a evolução de dinâmicas digitais para uso de smartphones, pois eles estão cada vez mais nas mãos dos alunos e dos professores para uso diário. É natural que ocorra uma evolução para a utilização em sala de aula deixando de ser um distrator e tornando-se uma ferramenta que auxilia o aprendizado. TecEduc – Como as escolas devem se preparar em relação à infraestrutura disponível para escolher, receber e implantar os dispositivos e, também, as tecnologias educacionais que serão utilizadas no dia a dia escolar? Helinton – Ter uma boa infraestrutura elétrica e lógica (rede) para conectividade é importante para que a utilização das tecnologias possa ser intensificada. No entanto, existem soluções que permitem o uso na sala de aula sem uma dependência de um investimento inicial muito alto na parte de infraestrutura. Torna-se, então, uma alternativa para as escolas que não tem como realizar um investimento maior em um primeiro momento. TecEduc – Acesso à Internet é fundamental para uma escola que deseja levar as tecnologias educacionais para as salas de aula? Por quê? Helinton – O acesso à Internet traz uma série de benefícios no uso das soluções, pois permite a utilização hospedada em nuvem, evitando a necessidade de uma estrutura de servidores locais nas escolas. O uso em nuvem traz, de carona, ganhos com atualização dos softwares, backup e consolidação dos dados. No entanto, sabemos que, em nosso país, o acesso e banda nas escolas são limitados. Em algumas regiões, mesmo quando existente, a conexão é instável, não permitindo o uso de forma efetiva. Nestes casos, o uso de soluções offline, sem necessidade de conexão com a Internet, viabiliza a utilização das tecnologias educacionais. TecEduc – O que falta para que as escolas ampliem o acesso aos equipamentos de tecnologia educacional? Helinton – O acesso é ampliado a partir do momento que se percebe o valor da solução implantada, já que o dispositivo, por si só, não é suficiente para que isso aconteça. As soluções precisam fornecer um ecossistema que beneficie o aluno, o professor, o gestor e a comunidade. TecEduc – O que você recomendaria para gestores e educadores que ainda não aproveitam os recursos da tecnologia educacional na rotina escolar? Helinton – É preciso começar de alguma forma, fazer parte do processo de implantação, entendendo seus benefícios e suas dificuldades. Uma boa recomendação seria procurar uma empresa com experiência em implantação de tecnologias educacionais. Esta empresa torna-se uma importante parceira para quem está começando, pois encurta o caminho para uma solução efetiva, evitando, assim, que os educadores e gestores incorram em problemas já mapeados. TecEduc – Em sua opinião, qual seria o passo a passo para que uma escola tenha capacidade ou infraestrutura para adquirir dispositivos para sala de aula, bem como novas tecnologias educacionais, como o aplicativo Aprimora e outras soluções? Helinton – O passo a passo varia de acordo com a amplitude do projeto, mas um caminho seria iniciar com um laboratório móvel, com dispositivos para o professor e alunos, conectividade para a sala de aula (Acess Point), mesmo que isolada, e um armário para a recarga das baterias dos equipamentos. Este conjunto pode ser levado até a sala de aula e, portanto, compartilhado entre várias turmas. Em um segundo momento, o investimento em uma rede cabeada na escola permitiria, por exemplo, disponibilizar um ou mais servidores de aplicação centralizados, o que otimizaria o tempo em aula. Além disso, a escola teria maior disponibilidade de conteúdos e informações geradas durante as atividades. Como alternativa ao servidor, pode-se optar por uma conexão de dados com a Internet, acessando soluções que estão hospedadas na nuvem. O dimensionamento desta conexão e a estabilidade do link são de extrema importância para o funcionamento da solução. Caso esses fatores não estejam bem ajustados, independente de se ter os melhores dispositivos, softwares ou aplicativos, toda a solução ficará comprometida, colocando em risco o projeto de tecnologia educacional da instituição e desmotivando professores e alunos. E você, educador, já utiliza os recursos da tecnologia para apoiar e complementar suas aulas? Conte para a gente a sua experiência aqui nos comentários!

Em entrevista, especialista da Positivo Tecnologia Educacional dá passo a passo para que educadores incluam a tecnologia na prática pedagógica.

Saiba mais sobre os dispositivos móveis e confira a tendência e os cenários para a sua aplicação É preciso, sempre que possível, acompanhar o ritmo da tecnologia, que evolui a passos largos. Na área educacional, principalmente, ela destaca-se como uma grande aliada do processo de ensino e aprendizagem para as novas gerações, auxiliando os professores a mediar o conteúdo e envolver os alunos no aprendizado. “À medida que a evolução é direcionada para uma linguagem natural na utilização dos dispositivos, os professores podem concentrar-se mais na atividade do que na tecnologia”, explica Hélinton Luiz Vieira Marques, Gerente de Novos Produtos da Positivo Informática Tecnologia Educacional. A tecnologia é, sim, uma aliada da educação dos novos tempos, mas isso não significa que não enfrentaremos desafios para que ela seja implantada com sucesso, como: usabilidade dentro e fora da sala de aula, integração com outros dispositivos, robustez, conectividade e a própria formação dos professores, que precisam de planejamento para conseguir incorporar a tecnologia no seu dia a dia. Dispositivos e aplicativos Os dispositivos móveis e seus aplicativos estão cada dia mais interessantes, acessíveis e intuitivos. Na educação, os aplicativos tiram proveito da interatividade para compartilhar informações e experiências, além de estimular o desenvolvimento cognitivo e favorecer atividades colaborativas entre os estudantes. Aplicativos com características sociais, por exemplo, permitem compartilhamento de dúvidas e descobertas entre os estudantes. Já os de realidade aumentada permitem a visitação de pontos culturais, vendo a história de outra maneira, enquanto os científicos e matemáticos utilizam câmeras, microfones e sensores para mostrar a teoria na prática, por exemplo. O uso dos dispositivos na educação também proporciona economia, pois não é preciso imprimir materiais e muito menos reimprimir atualizações e correções. “Outro fator importante é que também facilita o gerenciamento do conteúdo pela escola e pelo professor através de softwares de GDM – Gerenciamento de Dispositivos Móveis (em inglês MDM – Mobile Device Management) e GSA – Gerenciamento de Sala de Aula”, afirma Hélinton. O GDM permite à área de TI instalar, apagar e gerenciar conteúdos para um grande número de dispositivos simultaneamente. O GSA permite ao professor controlar as telas dos dispositivos, direcionando a atenção dos alunos em sala de aula, já que consegue bloquear a tela no momento expositivo de conteúdo ou efetuar enquetes, além de permitir a visualização da tela dos tablets dos alunos pelo professor, por exemplo. Dessa forma, o professor tem mais segurança com relação à dinâmica em sala de aula.

Positivo_2014.12.05_Infografico_DispositivosMoveis2

Os dispositivos e aplicativos continuarão evoluindo, sempre em busca de maior autonomia, utilização intuitiva, menor dependência de pessoal técnico e distribuição de conteúdo mais simples e efetiva. E nós continuaremos acompanhando e fazendo uso de suas múltiplas funções. O que acha do uso de dispositivos móveis em sala de aula? Compartilhe a sua opinião com a Revista Tec Educ! Conheça as nossas
soluções disponíveis para uso de dispositivos móveis em sala de aula.

Saiba mais sobre os dispositivos móveis e confira a tendência e os cenários para a sua aplicação É preciso, sempre que possível, acompanhar o ritmo da tecnologia, que evolui a passos largos. Na área educacional, principalmente, ela destaca-se como uma grande aliada do...