fbpx

Em entrevista, especialista dá passo a passo para que educadores incluam a tecnologia na prática pedagógica

Usufruir das amplas oportunidades oferecidas pela tecnologia dentro da sala de aula é um desejo comum aos educadores. Então, como é possível concretizar essa vontade, já que, muitas vezes, fatores como a falta de conexão com a Internet, ausência de recursos e de infraestrutura, tornam-se barreiras para que as escolas abram as suas portas para esse novo universo de possibilidades tecnológicas que envolvem o processo educacional?

Com o objetivo de responder a essa pergunta e ajudar os educadores a ficarem por dentro da dinâmica que envolve a implantação da tecnologia na escola, batemos um papo com o gerente de Operações Técnicas da Positivo Informática Tecnologia Educacional, Helinton Luiz Vieira Marques. Confira!

TecEduc – Qual é a importância do uso dos dispositivos móveis para sala de aula no contexto atual de ensino?
Helinton – O uso dos dispositivos móveis pode ser um grande aliado no processo de ensino e aprendizagem na medida em que as tecnologias móveis podem ampliar e enriquecer oportunidades educacionais, principalmente no que diz respeito a transformar dinâmicas tradicionais de sala de aula.

TecEduc – Entre eles, quais estão em destaque ou são fundamentais para serem usados nas salas de aula do futuro, daqui para frente?
Helinton – Não podemos dizer que os dispositivos móveis são fundamentais, mas, sim, que eles já podem ser considerados importantes para o uso de plataformas de ensino digital, pois trazem uma orientação mais rápida e eficiente para o aluno e também para o professor sobre o que está sendo ensinado e assimilado pelo estudante. Nesse contexto, os tablets ainda se destacam pela mobilidade e usabilidade, já que possuem uma tela maior. Não podemos, entretanto, desconsiderar a evolução de dinâmicas digitais para uso de smartphones, pois eles estão cada vez mais nas mãos dos alunos e dos professores para uso diário. É natural que ocorra uma evolução para a utilização em sala de aula deixando de ser um distrator e tornando-se uma ferramenta que auxilia o aprendizado.

TecEduc – Como as escolas devem se preparar em relação à infraestrutura disponível para escolher, receber e implantar os dispositivos e, também, as tecnologias educacionais que serão utilizadas no dia a dia escolar?
Helinton – Ter uma boa infraestrutura elétrica e lógica (rede) para conectividade é importante para que a utilização das tecnologias possa ser intensificada. No entanto, existem soluções que permitem o uso na sala de aula sem uma dependência de um investimento inicial muito alto na parte de infraestrutura. Torna-se, então, uma alternativa para as escolas que não tem como realizar um investimento maior em um primeiro momento.

TecEduc – Acesso à Internet é fundamental para uma escola que deseja levar as tecnologias educacionais para as salas de aula? Por quê?
Helinton – O acesso à Internet traz uma série de benefícios no uso das soluções, pois permite a utilização hospedada em nuvem, evitando a necessidade de uma estrutura de servidores locais nas escolas. O uso em nuvem traz, de carona, ganhos com atualização dos softwares, backup e consolidação dos dados. No entanto, sabemos que, em nosso país, o acesso e banda nas escolas são limitados. Em algumas regiões, mesmo quando existente, a conexão é instável, não permitindo o uso de forma efetiva. Nestes casos, o uso de soluções offline, sem necessidade de conexão com a Internet, viabiliza a utilização das tecnologias educacionais.

TecEduc – O que falta para que as escolas ampliem o acesso aos equipamentos de tecnologia educacional?
Helinton – O acesso é ampliado a partir do momento que se percebe o valor da solução implantada, já que o dispositivo, por si só, não é suficiente para que isso aconteça. As soluções precisam fornecer um ecossistema que beneficie o aluno, o professor, o gestor e a comunidade.

TecEduc – O que você recomendaria para gestores e educadores que ainda não aproveitam os recursos da tecnologia educacional na rotina escolar?
Helinton – É preciso começar de alguma forma, fazer parte do processo de implantação, entendendo seus benefícios e suas dificuldades. Uma boa recomendação seria procurar uma empresa com experiência em implantação de tecnologias educacionais. Esta empresa torna-se uma importante parceira para quem está começando, pois encurta o caminho para uma solução efetiva, evitando, assim, que os educadores e gestores incorram em problemas já mapeados.

TecEduc – Em sua opinião, qual seria o passo a passo para que uma escola tenha capacidade ou infraestrutura para adquirir dispositivos para sala de aula, bem como novas tecnologias educacionais, como o aplicativo Aprimora e outras soluções?
Helinton – O passo a passo varia de acordo com a amplitude do projeto, mas um caminho seria iniciar com um laboratório móvel, com dispositivos para o professor e alunos, conectividade para a sala de aula (Acess Point), mesmo que isolada, e um armário para a recarga das baterias dos equipamentos. Este conjunto pode ser levado até a sala de aula e, portanto, compartilhado entre várias turmas. Em um segundo momento, o investimento em uma rede cabeada na escola permitiria, por exemplo, disponibilizar um ou mais servidores de aplicação centralizados, o que otimizaria o tempo em aula. Além disso, a escola teria maior disponibilidade de conteúdos e informações geradas durante as atividades. Como alternativa ao servidor, pode-se optar por uma conexão de dados com a Internet, acessando soluções que estão hospedadas na nuvem. O dimensionamento desta conexão e a estabilidade do link são de extrema importância para o funcionamento da solução. Caso esses fatores não estejam bem ajustados, independente de se ter os melhores dispositivos, softwares ou aplicativos, toda a solução ficará comprometida, colocando em risco o projeto de tecnologia educacional da instituição e desmotivando professores e alunos.

E você, educador, já utiliza os recursos da tecnologia para apoiar e complementar suas aulas? Conte para a gente a sua experiência aqui nos comentários!