fbpx

Você sabia que é possível se especializar em tecnologia na educação? Então leia o artigo e entenda a importância dessa formação para inovar na área pedagógica.

Com os avanços tecnológicos alcançados durante as últimas décadas, é fato que o processo educacional também vem passando por uma verdadeira revolução. Mais do que nunca, o ensinar e o aprender precisa ser dinâmico, interessante e interativo para superar as expectativas da geração de nativos digitais que ocupa as salas de aula. E, para dar conta dessa demanda, além de estarem atentos às novidades da sua área, os educadores também precisam mergulhar no universo da tecnologia na educação para conseguirem inovar na prática pedagógica. Ou seja, devem buscar conhecimento, capacitação e uma melhor atuação através de cursos, seminários ou eventos em geral, para que usem a tecnologia educacional em benefício da aprendizagem.

Segundo Márcia Sebastiani, diretora do Centro de Inovação Pedagógica da Universidade Positivo, Campus Praça Osório, em Curitiba (PR), os jovens, hoje, são multitarefa, habituados a acessar diferentes informações utilizando várias tecnologias ao mesmo tempo. “Eles querem acessar o maior número de informações em um clique. Porém, informação não significa conhecimento. Para que possam construir conhecimentos, o papel do professor é muito importante”, afirma.

E COMO POSSO O EDUCADOR PODE SE APRIMORAR EM TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO?

Cursos de Especialização
Para a coordenadora do curso de Pedagogia da Universidade Positivo, Josemary Morastoni, estar atualizado com o uso das novas tecnologias na educação é importante tanto para educadores, como para futuros professores. “Na educação, considero os cursos de especialização primordiais para o aprofundamento em qualquer área que o profissional queira maior dedicação. Hoje, lidar com a tecnologia faz parte do que chamamos de ‘cultura-mundo’. E quando falamos em educadores que participam ativamente na formação e preparo de cidadãos, conhecer de forma mais aprofundada as novas tecnologias e utilizá-las como ferramentas de apoio e incentivo à aprendizagem é uma realidade. E o curso de especialização é uma das formas que auxiliam a ‘apropriação’ das novas tecnologias na prática profissional do educador”, pontua.

Segundo ela, o principal benefício do estudo e da atualização sobre as novas tecnologias para os docentes é a reconstrução do conhecimento adquirido ao longo de sua carreira. “É uma condição necessária para a aprendizagem contínua. E a utilização das novas tecnologias pode ser uma excelente ferramenta de apoio para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem: é uma possibilidade de novas descobertas nas práticas pedagógicas de cada educador”, avalia.

Capacitação
Com a chegada de novas soluções tecnológicas para complementar os conteúdos explanados em aula, também é essencial que seja realizada a capacitação dos educadores para o seu uso. Por isso, Josemary acredita que ainda existe um despreparo dos professores para a incorporação de novas soluções de tecnologia em favor do ensino. “Nos últimos anos, tivemos uma grande ampliação de atividades para o preparo do professor na utilização dos recursos tecnológicos em sala de aula. Mas o docente precisa incorporar as potencialidades das novas tecnologias à sua prática pedagógica, utilizando-as na rotina diária. Estudos nos dizem que, de forma geral, a formação inicial não prepara o docente para essa nova tendência, o que faz com que os educadores ainda tenham muito receio e preconceitos com a tecnologia”, aponta.

Atuação
Para a diretora Márcia Sebastiani, promover revoluções no modo de ensinar e aprender são mudanças necessárias que devem partir da atuação dos educadores. “Mesmo na era digital, ainda é possível observarmos professores que utilizam as novas tecnologias numa perspectiva conteudista e instrucionista, reforçando as formas tradicionais expositivas de ensinar. E usar uma nova tecnologia com uma velha concepção pedagógica não contribui para uma aprendizagem mais efetiva. São necessárias mudanças significativas no processo educacional com as tecnologias e, por isso, a importância de se oferecer aos professores uma formação inicial e continuada consistente nessa área”, avalia. “A formação deve ir além do estudo dos aspectos técnicos das tecnologias educacionais e precisa privilegiar também os aspectos metodológicos, por meio de discussões aprofundadas sobre a tecnologia no contexto educativo. Os professores precisam integrar a tecnologia ao desenvolvimento do currículo e não mais a encararem como algo isolado”, complementa a diretora.

Familiarização com as tecnologias educacionais
Para os professores que ainda não estão familiarizados com os recursos de tecnologia educacional, a coordenadora do curso de Pedagogia da Universidade Positivo aconselha: “além de buscar incorporar as novas tecnologias à sua prática, acredito o professor deve buscar novos conhecimentos, ser criativo e inovador. Como Paulo Freire já nos dizia, é preciso que os alunos se transformem ‘em reais sujeitos da construção e reconstrução do saber ensinado, ao lado do educador, igualmente sujeito do processo’. Se o educador tiver essa percepção, poderá, continuamente, investigar suas práticas e verificar de que maneira elas contribuem para a formação de cidadãos críticos e participativos, buscando nas novas tecnologias apoio, conhecimentos, dicas para a investigação e reorganização de sua prática”, conclui Josemary.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a importância de adquirir conhecimentos sobre o uso da tecnologia na educação, compartilhe com a Revista TecEduc: quais são os meios de atualização pedagógica que você utiliza, Educador?