fbpx

Para além da sala de aula, desafio mundial incentiva alunos a desenvolverem soluções para transformar o mundo com a programação

Do your:bit acrescenta às crianças e adolescentes uma aprendizagem social e digital em três dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis da ONU

Desde 2015 a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu aos países membros um novo pacto para desenvolvimento global sustentável. Até 2030, as nações, empresas, instituições e sociedade civil devem buscar  assegurar os direitos humanos, acabar com a pobreza, lutar contra a desigualdade, trabalhar pela igualdade e atuar contra as mudanças climáticas. Ao todo são 17 os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos.

A estudante Kathellen Lima, de Manaus, foi destaque no desafio internacional em 2019. Foto: Reprodução/Rede Amazônica

 

Neste ano, a Fundação micro:bit está desafiando crianças e adolescentes a criarem projetos  que solucionem problemas relacionados à saúde de qualidade e bem-estar (objetivo 3) e ações contra a mudança global do clima (objetivo 13). Soluções em outros objetivos também são bem-vindas.  

“O desafio é uma oportunidade incrível para alunos, professores e escolas. Afinal, por meio dele, é possível abordar uma infinidade de temas e construir conhecimento com muita prática. Durante meses eles são convidados a pesquisar sobre os problemas, propor soluções, testar hipóteses, errar, aprender com os erros, corrigir, fazer de novo. Tudo isso gera um aprendizado rico e cheio de possibilidades”, incentiva Luis Furtado gerente de projetos da Tecnologia Educacional que é o distribuidor master do micro:bit na América Latina.  

 

Salvando tubarões e melhorando as condições de cultivo

Em 2020 o desafio global recebeu a inscrição de mais de mil projetos de alunos de mais de 50 países que aceitaram fazer a sua parte para encontrar soluções para os problemas profundos da sociedade. Os campeões da América Latina, por exemplo, focaram no objetivo 14- que pede a  conservação e uso sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos – criando boias com micro:bits para salvar os tubarões martelos.

Outro projeto destaque da edição foi desenvolvido pela equipe do Uruguai que construiu uma mini-estufa automatizada usando placas de micro:bit com o objetivo de controlar as condições de cultivo e crescimento de diferentes espécies de plantas e árvores em locais com clima adverso.

Em 2019, o Brasil foi destaque na competição com a pequena manauara Kathellen Lima, hoje com 12 anos. Ela havia conhecido a robótica no ano anterior com o micro:bit e topou o desafio proposto pelo professor Tiago Cauassa de criar um projeto nos ODS. Sua criação deu tão certo que a jovem embarcou para Londres e voltou campeã da América Latina.

“Eu tive a ideia de criar a boia:bit para que as pessoas parem de jogar lixo nos igarapés [cursos d’água amazônicos]. Meu objetivo é sensibilizar as pessoas sobre a preservação do meio ambiente”, conta Kathellen que nunca havia trabalhado com programação e desde a experiência se tornou uma apaixonada pelo assunto. Confira:

 

LEIA TAMBÉM AULAS DE PROGRAMAÇÃO CONTINUAM MESMO A DISTÂNCIA

 

Ideias, aulas e projetos: mais que competir, se divertir e aprender

No nosso blog é possível encontrar diversas sugestões de aulas, vídeos e atividades para incentivar os alunos a criarem: de soluções para salvar as tartarugas marinhas a leds calmantes para regular a respiração. Durante todo o percurso os participantes vão debater os problemas globais, pensarem em soluções e colocar em prática suas próprias ideias, testando, errando e corrigindo seus protótipos. 

“Seja no site da Fundação, seja no site da Tecnologia Educacional, vocês irão encontrar dezenas de projetos incríveis para serem executados. Eles podem servir de inspiração e pontos de partida para as criações próprias e o melhor: com o suporte das nossas ferramentas digitais é possível utilizar o micro:bit em casa durante esse período que pede distanciamento social”, completa Luis.  

 

Seus alunos no do your:bit 2021

Duas são as categorias para participação no desafio internacional e as inscrições podem ser feitas até o dia 4 de junho de 2021.

Para os participantes de oito a 14 anos é preciso enviar uma ideia que resolva um problema em um dos ODS criando um protótipo em papel para explicar a solução ou projetar e criar uma solução usando o micro:bit para resolver o problema identificado.

Já os participantes de 15 a 18 anos precisam obrigatoriamente projetar e criar uma solução com o micro:bit. As inscrições devem ser realizadas no site oficial do desafio microbit.org/do-your-bit ou clicando aqui.  

“O desafio do your:bit tem sido uma maneira fantástica de ajudar os alunos a canalizar sua paixão por melhorar o mundo ao mesmo tempo em que desenvolvem habilidades para o futuro.”
Allison Bellwood, criadora e diretora do your:bit
 

 

Na inscrição os alunos devem contar sobre a sua solução. “O que criou? Por que o criou? Como isso ajudará a comunidade?”. Também é preciso apresentar um protótipo apresentando como a ideia funcionará, para isso a equipe pode desenhar os planos e fotografá-los ou ainda enviar um arquivo .hex do código do protótipo. E se os alunos desejarem, é possível incluir um vídeo ou fotos da criação em ação.

“Nosso convite é que as escolas engajem seus alunos nesta oportunidade internacional. Mais do que vencer o desafio, participar é de fato uma experiência que transforma a vida dos estudantes”, finaliza.