fbpx

Modelo de aulas híbridas é a aposta para retomada das atividades escolares em 2021

por | 26 / jan / 21 | Artigos, Giro TE

* Por Cesar Lombardo

Após as adversidades vividas em 2020 com a pandemia de covid-19, o mundo se prepara agora para o retorno às atividades presenciais, porém ainda longe de termos nos livrado em definitivo dos riscos à saúde. Muitas medidas de contorno ainda terão de ser tomadas, visando à volta gradual à normalidade. 

No ambiente escolar, a proposta mais bem aceita é a das aulas híbridas, em que uma parte dos alunos retornaria para o modelo presencial, enquanto a outra seguiria no modo on-line.  Com isso um novo desafio se apresenta para a comunidade educacional: como garantir o aproveitamento pedagógico simultâneo nestas aulas presenciais e remotas? 

 

LEIA TAMBÉM “A DECISÃO DA VOLTAS ÀS AULAS PRESENCIAIS: COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR?”

 

O primeiro passo é disponibilizar uma boa solução de hardware e software. Obviamente a metodologia vai além dos equipamentos, porém passa obrigatoriamente pela condição desses itens, já que será preciso garantir, antes de tudo, a qualidade de transmissão e a facilidade de interação do aluno que está estudando de forma remota.

Em seguida, é preciso que os professores criem estratégias para tentar atribuir de forma igualitária o conteúdo no modelo de ensino híbrido, afinal os alunos que estão em casa tendem a ter menos chances de  tirar dúvidas em tempo real do que os que estão em sala de aula. 

Por isso, muitos estudos vêm sendo feitos neste sentido e empresas têm apresentado soluções de hardware e software para atender à demanda. Uma das tendências em alta é oferecer ao professor uma tela grande em sala de aula para que ele possa ver e escutar melhor os alunos conectados. Desta forma, esses alunos com acesso ao microfone e à câmera, podem ser vistos e ouvidos por todos, garantindo que suas dúvidas sejam sanadas em tempo real.

 

VEJA EDUCAÇÃO PÓS-PANDEMIA: A ESCOLA E A TECNOLOGIA

 

Outra técnica é, sempre que possível, duplicar a aula para oportunizar, assim, a todos os alunos o acesso à mesma dinâmica. É possível tornar as aulas atrativas sem repetição, modificando alguns conceitos e focando em atividades práticas, por exemplo.

O importante é oferecer todas as condições para que o professor e os alunos sofram o menor impacto possível nesse novo modelo e que o aproveitamento dos conteúdos seja garantido. Além disso, é muito importante que as soluções de hardware apresentadas levem em conta as necessidades do ambiente escolar, garantindo que nenhum risco de acidente ocorra nesse contexto. 

* Cesar Lombardo é gerente de estratégia de mercado na Tecnologia Educacional.

Conheça as soluções da Tecnologia Educacional!

por | 26 / jan / 21 | Artigos, Giro TE

Meninas no aprendizado STEM: pesquisa revela a necessidade de incentivá-las nas áreas de ciências e tecnologia

Apesar dos avanços das últimas décadas, a desigualdade entre meninos e meninas nos campos científicos ainda é grande e as instituições de ensino desempenham um papel central nesta questão A primeira mulher a ganhar um Prêmio Nobel foi Marie Curie, em 1903. De lá para...